Diferença de remuneração deve aumentar

O economista Alexandre Marinis, da Mosaico Consultoria, observa que a grande e crescente diferença entre os rendimentos do setor privado e o dos servidores públicos federais deve continuar a se expandir. A razão é que a crise e o aumento do desemprego estão contendo as reivindicações dos trabalhadores do setor privado, enquanto o escalonamento de uma série de reajustes já concedidos pelo governo, por meio de medidas provisórias (MPs), garante a continuidade dos aumentos salariais dos servidores neste ano e nos próximos. "O impacto desses aumentos vai continuar até 2011 e a defasagem vai aumentar", prevê Marinis. Para o economista, "a grande massa de trabalhadores do setor privado está desassistida na crise, com possibilidade de demissão, sem conseguir reajustes reais e com muito menos acesso ao crédito". Ele acrescenta que as aposentadorias do setor privado são muito menores.Marinis nota, ainda, que a diferença entre a remuneração dos servidores federais e a dos trabalhadores do setor privado deve ser ainda maior do que aquela a que se chega com a comparação entre a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e o Boletim Estatístico de Pessoal. Isso porque a PME só pega seis regiões metropolitanas, que são mais ricas que a média do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.