Diferença no reajuste no telefone será parcelada

O ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, disse hoje, após se reunir com seis concessionárias de telefonia fixa, que elas aceitaram não aplicar de imediato a diferença do reajuste das tarifas do ano passado. Segundo ele, ainda não está decido em quantas parcelas será o repasse para o consumidor.Esta diferença é resultado dos preços que vem sendo cobrados desde o ano passado com base em uma liminar da Justiça que estabeleceu o IPCA como indexador das tarifas. Na semana passada, no entanto, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu restabelecer o IGP-DI como indexador. Com isso, o aumento deste ano poderá subir de 6,89% em média para cerca de 16,5%.Segundo o ministro, até a próxima segunda-feira, governo e empresas deverão chegar a uma solução para o problema. O presidente do Conselho de Administração da Telemar, Otávio Marques Azevedo, disse, em nome de todas as concessionárias, que a proposta do governo foi recebida com simpatia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.