Roberto Stuckert Filho/Divulgação/Presidência
Roberto Stuckert Filho/Divulgação/Presidência

Dilma anuncia pacote de infraestrutura para maio

A previsão é que as obras incluídas no programa federal somem investimentos da ordem de R$ 150 bilhões

Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2015 | 14h13


Texto atualizado às 21h

O pacote do governo para ampliar investimentos em infraestrutura deve ser lançado no próximo mês, anunciou nesta terça-feira, 28, a presidente Dilma Rousseff ao inaugurar a fábrica Jeep, do Grupo Fiat Chrysler, em Goiana, cidade da zona da mata de Pernambuco, a 66 km do Recife. 

Apesar de a indústria estimar queda de 9,4% na produção e 12,3% na venda de carros em 2015, Dilma disse que o polo automotivo, com 530 mil metros quadrados e capacidade de produzir 250 mil veículos por ano, é condizente com as perspectivas do setor automobilístico e do País. 

“Falo isso não ignorando as dificuldades e a desaceleração que o Brasil passa por esse momento, mas dentro da certeza do compromisso e do empenho do meu governo em trabalhar para aprimorar as bases, para garantir o crescimento da demanda, da produção e do desenvolvimento social e regional do País”, discursou.

Ela aproveitou a ocasião para afirmar que sua equipe estuda incluir no pacote de novas obras de infraestrutura o lote 1 da construção do arco viário de 77 km que pretender conectar o litoral norte de Pernambuco ao Porto de Suape. O projeto é estratégico para escoar a produção. A obra foi uma das contrapartidas prometidas pelo Estado, que passou a responsabilidade ao governo federal. A ideia é construir uma pista dupla para fugir do trânsito caótico da BR-101 e facilitar a mobilidade de cargas que têm como origem ou destino o Porto de Suape.

O órgão ambiental de Pernambuco liberou na segunda-feira a licença prévia para a construção da parte 2 do empreendimento, com cerca de 45 km, com início em São Lourenço da Mata e término perto de Cabo de Santo Agostinho. O lote 1, que deve ser incluído no pacote de maio, parte de Goiana até São Lourenço da Mata. O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirmou que os investimentos do pacote devem somar R$ 150 bilhões.

A presidente e o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), lembraram de seus respectivos padrinhos políticos - o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em agosto do ano passado. Os dois firmaram, em dezembro de 2010, a parceria entre os governos estadual e federal que proporcionou a instalação da fábrica na zona da mata do Estado, até então sustentada pela cultura da cana-de-açúcar. A fábrica em Goiana é a primeira inaugurada depois da fusão da Fiat e da Chrysler, feita em outubro do ano passado. 

Investimento. Além da fábrica da Jeep, o polo automotivo é formado por 16 empresas de autopeças. Os fornecedores estão numa área de 270 mil metros quadrados. O investimento no complexo superou os R$ 7 bilhões. A presidente fez questão de ressaltar que dois terços foram financiados pelo BNDES, com recursos de fundos constitucionais.

A fábrica tem capacidade para produzir 250 mil veículos por ano - 45 a cada hora. O grupo Fiat Chrysler afirma que o carro que está sendo produzido em Goiana tem índice de nacionalização de 70% - o objetivo é chegar a 80%.

O primeiro modelo produzido na fábrica (Jeep Renegade) custa entre R$ 69,9 mil e R$ 116,9 mil. Outros dois modelos serão fabricados nos próximos 18 meses, informou o presidente executivo mundial do grupo Fiat Chrysler, Sergio Marchionne. Também disse que há possibilidade de o grupo trazer a marca Alfa Romeo para o Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
dilma rousseffinfraestrutura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.