Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Dilma anuncia R$ 13,5 bilhões para obras de saneamento e pavimentação

Presidente reconhece que Brasil está 'muito aquém' quando o assunto é saneamento e diz que o governo aprovou 310 propostas para o setor

Agência Estado,

24 de outubro de 2013 | 13h04

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira, 24, investimentos de R$ 13,5 bilhões em saneamento e pavimentação para 1.198 municípios. As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

As obras de pavimentação fazem parte do pacto estabelecido pelo governo após as manifestações de junho para melhorar a mobilidade urbana. Em relação às obras de saneamento, Dilma disse que elas "desaparecem" depois que são feitas, mas produzem efeitos positivos nos dados da saúde pública. "Talvez sejam uma das maiores prevenções que se pode fazer na área da saúde, em especial da mortalidade infantil".

Governo. Segundo Dilma, seu governo investiu R$ 39 bilhões em saneamento. "Vamos continuar investindo sistematicamente", disse a presidente.

Sobre a outra área contemplada hoje, a presidente afirmou que considera investimentos em pavimentação "legítimos" e defendeu parcerias do governo federal com as prefeituras nesse campo, sobretudo em cidades com até 50 mil habitantes. "Lá estão mais de 90% dos municípios no País", justificou.

Ela reconheceu na cerimônia que o Brasil está "muito aquém" quando o assunto é saneamento e destacou que, só para o setor, o governo aprovou 310 propostas, que somam mais de R$ 10 bilhões.

Dilma disse ainda que o governo precisa atuar em várias áreas, mas "tendo um foco". "Isso vai de saneamento a petróleo, vai de médico a pavimentação, mas tem um foco", disse Dilma. "O foco é que nós temos que garantir qualidade de vida para a população, e isso significa serviços públicos e infraestrutura para ela", afirmou. "Por isso temos que utilizar os recursos deste País em prol dessa população", concluiu. (Com Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaPAC2

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.