Dilma: asiáticos estão mais 'agressivos' sobre trem-bala

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse hoje que os consórcios asiáticos estão mais "agressivos" na disputa pela construção do trem de alta velocidade, o trem-bala, que ligará as cidades do Rio de Janeiro a São Paulo e Campinas.

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

19 de março de 2010 | 16h55

Segundo ela, é difícil saber quem vai participar da licitação até o momento da apresentação das propostas. A ministra afirmou que é tecnicamente possível considerar interesse por parte de coreanos, espanhóis, chineses, japoneses, franceses e alemães. "Estou vendo os consórcios asiáticos mais agressivos. Pode ser o estilo", disse. Ela ponderou que há grandes empresas europeias que já tiveram experiências na área de trens de alta velocidade. "Nada impede que também apareçam e surpreendam ao longo do processo. A verdade é que nós vamos licitar", afirmou.

De acordo com a ministra, o governo quer ter o maior número de participantes na disputa, o que , segundo ela, aumenta consequentemente a competição e a possibilidade de escolha de bons projetos. Reiterou ainda que é possível ter trechos do trem-bala concluídos até a Copa do Mundo de 2014. A ministra deu tais declarações após participar da reunião do Conselho de Administração da Petrobras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.