Dilma decide por 'acadêmico' e nomeia Marcelo Neri para o Ipea

Presidência estava sendo ocupada interinamente por Vanessa Petrelli, depois do desligamento de Márcio Pochmann

TÂNIA MONTEIRO , IURI DANTAS / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2012 | 03h04

A presidente Dilma Rousseff optou por um nome "acadêmico" como prometia e escolheu o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Marcelo Neri para assumir o comando do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Segundo fontes do Palácio do Planalto ouvidas pela reportagem, Neri foi indicado pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco, e deve ter seu nome publicado no Diário Oficial da União de segunda-feira.

A presidência do Ipea vinha sendo ocupada interinamente pela economista Vanessa Petrelli, depois que Márcio Pochmann, ligado ao PT, deixou a instituição para disputar a prefeitura de Campinas. O nome de Neri era citado, nos bastidores, como preferência da presidente Dilma, que conversa sobre o tema há meses com Moreira Franco. economista-chefe do Centro de Políticas Sociais da FGV, Neri já declarou que não é tucano, nem petista, em entrevista ao Estado.

O economista possui Ph.D pela Universidade Princeton e diagnosticou duas mudanças profundas ocorridas na economia nas últimas duas décadas.

Foi um dos primeiros a comprovar, nos anos 90, a queda da pobreza causada pelo Plano Real, o que confrontava a visão de economistas ligados ao PT. Anos depois, trabalhou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para demonstrar a existência de uma nova classe média no País, criada com a ajuda da estabilidade econômica, programas sociais e reajustes do salário mínimo.

Elogios. Em abril, Dilma rasgou elogios publicamente ao economista e recomendou a leitura de seu livro. "Eu sugeriria a todos aqui que se interessam por isso, que têm toda uma abnegação em relação a isso, a leitura de um livro, de um trabalho do Marcelo Neri, que está ali conversando, a leitura do livro dele, Nova Classe Média, que é, eu acredito, um dos estudos mais bem-feitos a respeito desse processo" afirmou a presidente. "Ele pode ter certeza, ele inspira a gente a melhorar os nossos programas." "É por várias constatações, estudos e análises dele, que nós vamos melhorando os nossos programas, então ele é um grande colaborador do governo federal", acrescentou Dilma. "Acho que ele é um dos brasileiros que ajudaram o Brasil a combater a pobreza e a miséria."

Ao selecionar o economista, a presidente recusou a indicação feita por Pochmann, que preferia ver Vanessa no cargo.

Formada pela Universidade de Campinas, ela defende os ideais de John Maynard Keynes - o economista inglês que advogava por investimentos estatais durante períodos de crise econômica e ajudou os líderes mundiais a criarem o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial após a 2.ª Guerra Mundial, na conferência de Bretton Woods.

Antes de assumir o Ipea em 2007, Pochmann atuou como secretário de Desenvolvimento de Marta Suplicy, na Prefeitura de São Paulo. No instituto, sua gestão criou polêmica desde o primeiro momento, ao substituir economistas de abordagem diferente da sua e nomear pesquisadores com suposto ideário "estatista". Pochmann defendia o uso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o aumento dos gastos públicos para estimular a economia e o crescimento da máquina pública.

Privatizações e reformas estruturais, como a trabalhista, previdenciária e outras, por exemplo, estavam fora da pauta do instituto, que deveria se limitar a fazer pesquisas e apontar soluções em vez de defender somente um ponto de vista, segundo os críticos do economista. Moreira Franco tentava defenestrar Pochmann desde fevereiro do ano passado, mas o petista contava com apoio do partido e se segurou no cargo. Com a escolha de Neri, Dilma substitui um nome político por um técnico, como fez na Petrobrás, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.