Dilma defende início imediato da exploração do pré-sal

Ministra alerta que discussão e planejamento devem começar imediatamente 'senão não daremos conta'

ANNE WARTH, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 13h35

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta sexta-feira, 25, em São Paulo, em entrevista a jornalistas estrangeiros no País, que o Brasil precisa iniciar desde já a discussão e o planejamento para a exploração do petróleo da camada pré-sal. "Ou o pré-sal começa hoje, ou não daremos conta dele", afirmou. Dilma esclareceu que "dar conta" significa criar uma rede de fornecedores, construir novas refinarias e criar uma empresa petroquímica de porte internacional. De acordo com a ministra, o País vive um momento "especial, especialíssimo".

Veja também:

linkPetrobrás pesquisa se há pré-sal na Bahia

especialO novo marco regulatório do petróleo

especialO caminho até o pré-sal

especialMapa da exploração de petróleo e gás 

 

Dilma lembrou que o acesso às reservas de petróleo da camada pré-sal interessa a empresas internacionais. Na avaliação dela, isso acontece porque o Brasil é um país atrativo para investimentos nessa área. "O Brasil é um país democrático e que respeita contratos", afirmou. "O Brasil pode tornar-se um grande exportador de petróleo."

Dilma disse que a exploração de petróleo da camada pré-sal e a produção de etanol são atividades que o País pode desenvolver ao mesmo tempo. "Não temos dúvidas de que o Brasil é o país mais competitivo na área de etanol."

Tudo o que sabemos sobre:
petróleopré-salDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.