Dilma destaca manutenção do PAC e reconhecimento do Fed

No rádio, ministra-chefe da Casa Civil diz que Brasil não tem razão para achar que não possui crédito interno

Leonardo Goy, da Agência Estado,

31 de outubro de 2008 | 10h11

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta sexta-feira, 31, que não há razão para que se pense que não há crédito interno no Brasil e destacou a manutenção das obras do PAC e o acordo com o banco central dos EUA, o Fed. "Em vez de o FMI estar batendo em nossa porta exigindo políticas restritivas, nós estamos é mantendo as obras do PAC e ganhando o reconhecimento do Federal Reserve", disse, referindo-se ao acordo com o BC norte-americano para um swap de moedas de até US$ 30 bilhões com o Banco Central brasileiro. Ela concedeu entrevista ao programa Bom Dia Ministro. Veja tambémDe olho nos sintomas da crise econômica Veja os reflexos da crise financeira em todo o mundoVeja os primeiros indicadores da crise financeira no BrasilLições de 29Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise Dicionário da crise    A ministra listou algumas recentes medidas do governo para tentar suprir a demanda por crédito no País, em contraponto à crise financeira internacional. Ela lembrou que o governo já liberou R$ 3 bilhões para o capital de giro da construção civil e R$ 10 bilhões para o setor naval por meio do Fundo da Marinha Mercante, além de ter liberado recursos dos compulsórios para os bancos. Dilma reconheceu, porém, preocupação com a volatilidade da taxa de câmbio. Para ela, o mais importante não é qual a cotação do dólar. "O que importa é que a taxa não flutue de forma súbita."

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma Rousseffcréditocrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.