finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dilma diz que abrir e fechar empresa ficará mais fácil

A presidente Dilma Rousseff disse, nesta quinta-feira, 24, que o governo vai simplificar os procedimentos para a abertura e o fechamento de empresas no País. "A abertura de empresas vai cair para cinco dias para 95% das empresas", afirmou ela em entrevista à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte (MG).

RENAN CARREIRA, Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 10h36

Dilma disse que deve haver um esforço para a desburocratização no País e que determinou que a abertura e o fechamento de empresas sejam feitos em balcão único e por meio da internet. Vamos migrar de uma situação medieval de criação de empresas para a internet. As ferramentas tecnológicas permitem que o Brasil dê um salto (nessa questão)."

A presidente lembrou ainda de benefícios feitos para empresas do comércio. Ela ressaltou que em abril o governo promoveu a desoneração do comércio varejista. "As empresas, em vez de pagarem 20% sobre a folha de salário, agora pagam 1% sobre o faturamento." Dilma destacou também o Super Simples. "De um total de 4,5 milhões de empresas no Super Simples, 49% pertencem ao comércio."

A presidente ressaltou seu compromisso com todos os tipos de empresa e disse que boa parte da expansão recente do setor varejista se deve aos avanços de seu governo e de seu antecessor. "O crescimento do comércio no Brasil tem relação com crescimento e distribuição de renda."

Dilma disse ainda que os empresários do varejo estão muito satisfeitos com o Minha Casa Melhor. Por meio desse programa, o governo fornece um cartão de R$ 5 mil para os beneficiários do Minha Casa Minha Vida para a compra de móveis e eletrodomésticos. "Ultrapassamos R$ 1 bilhão de valor vendido com o Minha Casa Melhor."

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaBHempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.