finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dilma diz que governo estuda lançar terceira fase do Minha Casa

Presidente reiterou compromisso de entregar 2,7 milhões de residências até o fim deste mandato e planeja nova fase do programa habitacional

Agência Estado e Reuters

15 de outubro de 2013 | 10h33

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira, 15, em cerimônia de entrega de residências construídas com recursos do Minha Casa, Minha Vida 2, que o governo federal está estudando lançar a terceira fase do programa habitacional.

"Estamos pensando em deixar pronta uma nova fase. Não basta 2,750 milhões de casas. Vamos ter que repetir a dose. Quem vier depois de mim tem que repetir a dose", disse Dilma durante a entrega de 1.740 unidades habitacionais no município de Vitória da Conquista (BA).

A presidente destacou ainda que o Brasil precisa ter o compromisso de acabar com o déficit habitacional. "Minha responsabilidade como presidente é dizer que é possível enfrentar o déficit. Nós temos condições para fazê-lo", reforçou.

A presidente também reiterou que melhores condições de habitação, saúde e educação são tão importantes quanto o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

"É óbvio que precisamos que economia cresça e o PIB cresça, mas temos experiência passada que PIB crescia e renda se concentrava na mão de poucos", afirmou.

Meta. Dilma reafirmou que a meta do programa Minha Casa, Minha Vida é construir 2,750 milhões de residências até o fim deste mandato. "Quanto o programa começou, ainda no governo do presidente Lula, disseram que não era para valer, que tínhamos lançado o programa para enganar". 

A primeira fase do programa, ainda no governo Lula, teve 1 milhão de moradias contratadas. A etapa atual foi lançada com meta de atingir 2 milhões de unidades até 2014, mas foi ampliada para 2,750 milhões de residências, depois que o governo aprendeu "como podia fazer rápido as casas", segundo Dilma. No total, incluindo as duas fases, o Minha Casa, Minha Vida já contratou 2,9 milhões de residências até agora.

Educação. No mesmo evento a presidente Dilma Rousseff disse que é preciso investir na educação para que o Brasil dê um salto e se torne um país desenvolvido. Ela ressaltou, porém, que um país desenvolvido não é aquele em que apenas o PIB cresce. "É óbvio que é preciso que o PIB cresça, mas a renda precisa ser distribuída."

Mais tarde, a presidente vai a Salvador para participar de anúncio de investimentos do PAC Mobilidade Urbana e assinatura de contratos relativos ao metrô da cidade.

Minha Casa Melhor. Segundo dados divulgados hoje pelo IBGE, o setor de móveis e eletrodomésticos teve expansão de 0,8% nas vendas em agosto ante julho, e de 7,9% ante agosto do ano passado, ainda na esteira do programa Minha Casa Melhor, que financia a compra de móveis e eletrodomésticos para subsidiários do Minha Casa, Minha Vida.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaMinha Casa Minha Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.