Dilma diz que governo estuda lançar terceira fase do Minha Casa

Presidente reiterou compromisso de entregar 2,7 milhões de residências até o fim deste mandato e planeja nova fase do programa habitacional

Agência Estado e Reuters

15 de outubro de 2013 | 10h33

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira, 15, em cerimônia de entrega de residências construídas com recursos do Minha Casa, Minha Vida 2, que o governo federal está estudando lançar a terceira fase do programa habitacional.

"Estamos pensando em deixar pronta uma nova fase. Não basta 2,750 milhões de casas. Vamos ter que repetir a dose. Quem vier depois de mim tem que repetir a dose", disse Dilma durante a entrega de 1.740 unidades habitacionais no município de Vitória da Conquista (BA).

A presidente destacou ainda que o Brasil precisa ter o compromisso de acabar com o déficit habitacional. "Minha responsabilidade como presidente é dizer que é possível enfrentar o déficit. Nós temos condições para fazê-lo", reforçou.

A presidente também reiterou que melhores condições de habitação, saúde e educação são tão importantes quanto o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

"É óbvio que precisamos que economia cresça e o PIB cresça, mas temos experiência passada que PIB crescia e renda se concentrava na mão de poucos", afirmou.

Meta. Dilma reafirmou que a meta do programa Minha Casa, Minha Vida é construir 2,750 milhões de residências até o fim deste mandato. "Quanto o programa começou, ainda no governo do presidente Lula, disseram que não era para valer, que tínhamos lançado o programa para enganar". 

A primeira fase do programa, ainda no governo Lula, teve 1 milhão de moradias contratadas. A etapa atual foi lançada com meta de atingir 2 milhões de unidades até 2014, mas foi ampliada para 2,750 milhões de residências, depois que o governo aprendeu "como podia fazer rápido as casas", segundo Dilma. No total, incluindo as duas fases, o Minha Casa, Minha Vida já contratou 2,9 milhões de residências até agora.

Educação. No mesmo evento a presidente Dilma Rousseff disse que é preciso investir na educação para que o Brasil dê um salto e se torne um país desenvolvido. Ela ressaltou, porém, que um país desenvolvido não é aquele em que apenas o PIB cresce. "É óbvio que é preciso que o PIB cresça, mas a renda precisa ser distribuída."

Mais tarde, a presidente vai a Salvador para participar de anúncio de investimentos do PAC Mobilidade Urbana e assinatura de contratos relativos ao metrô da cidade.

Minha Casa Melhor. Segundo dados divulgados hoje pelo IBGE, o setor de móveis e eletrodomésticos teve expansão de 0,8% nas vendas em agosto ante julho, e de 7,9% ante agosto do ano passado, ainda na esteira do programa Minha Casa Melhor, que financia a compra de móveis e eletrodomésticos para subsidiários do Minha Casa, Minha Vida.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaMinha Casa Minha Vida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.