Dilma diz que reduzirá impostos em 2013

Minutos antes de o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciar um novo pacote de estímulo à economia, a presidente Dilma Rousseff disse ontem que o conjunto de medidas anunciado nos últimos meses vai levar o País a um crescimento "sistemático e sustentável". Para o ano que vem, ela prometeu como prioridade "a redução de impostos".

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, RAFAEL MORAES MOURA, ENVIADO ESPECIAL / PALMAS , O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2012 | 02h05

"Estou certa que, com tudo que nós fizemos este ano, o Brasil vai ter um crescimento sistemático nos próximos anos", afirmou Dilma, na entrega do prêmio Finep de inovação. "Sistemático e sustentável", acrescentou Dilma.

Segundo a presidente, haverá novos cortes de impostos em 2013. "No próximo ano, essa vai ser uma das minhas maiores lutas, a redução de impostos", disse, pela manhã.

Doutora em economia, Dilma envolveu-se diretamente na elaboração e discussão de mais de uma dezena de pacotes, todos voltados para estímulo ao investimento, proteção da indústria nacional e geração de empregos. Hoje, a presidente anuncia a concessão dos aeroportos de Confins (MG) e Galeão (RJ) à iniciativa privada.

"Por isso que é tão importante desdar os nós, reduzir os gargalos, e levar o País a crescer, reduzir juros, dar uma redução dos nossos impostos, permitir que o Brasil tenha um câmbio mais competitivo, reduzir as tarifas de energia elétrica, fazer programas na área de infraestrutura em parceria com o setor privado, rodovias, ferrovias, portos e aeroportos", listou a presidente.

"Tudo isso só tem sentido se nós mudarmos o patamar de desenvolvimento brasileiro e para isso só tem duas palavras, e elas são irmãs siamesas: educação, ciência, tecnologia e inovação. Então, educação e inovação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.