Fernando Bezerra Jr/EFE
Fernando Bezerra Jr/EFE

Dilma diz que vai abrir capital da Caixa, mas que processo é 'demorado'

Presidente confirma que o processo vai acontecer, mas não dá detalhes sobre como a transação vai transcorrer

Jeferson Ribeiro, REUTERS

22 Dezembro 2014 | 12h46

O governo da presidente Dilma Rousseff pretende abrir o capital da Caixa Econômica Federal, operação que não deve ocorrer no curto prazo e que garantirá recursos aos cofres públicos pela redução da participação da União no banco.

"Vou (abrir o capital da Caixa), mas é um processo demorado", limitou-se a dizer Dilma a jornalistas nesta segunda-feira, após café da manhã no Palácio do Planalto, ao ser perguntada sobre notícia de que o governo planeja uma Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações do banco.

Segundo publicado no jornal Folha de S. Paulo no domingo, o governo faria um IPO da Caixa daqui a cerca de 1,5 ano. Antes disso, segundo o diário, o banco federal teria que passar por um processo de saneamento.

Ainda de acordo com a Folha, o IPO garantiria recursos importantes para reforçar os cofres do Tesouro Nacional, num momento em que o governo tenta melhorar as contas públicas.

A Caixa é o principal concessor de empréstimos habitacionais e o terceiro maior banco do país em ativos totais. Em setembro, a Caixa tinha 1 trilhão de reais em ativos, segundo dados do Banco Central, atrás do também público Banco do Brasil, com 1,3 trilhão de reais, e do privado Itaú. com 1,1 trilhão de reais.

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMACEF*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.