Dilma pede a fornecedores que não façam reajuste abusivo

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, fez um apelo aos fornecedores de equipamentos que serão usados na instalação do programa "Luz para Todos" para que "não haja um reajuste abusivo de preços". Segundo ela, haverá uma demanda significativa de equipamentos para que o governo possa levar até 2008 a energia elétrica a 12 milhões de pessoas, que ainda não dispõem de eletricidade em suas residências.A ministra assinou hoje, em cerimônia no Palácio do Planalto, os contratos da primeira fase do programa, que prevê a ligação de 567 mil residências nos próximos 18 meses e que beneficiará 2,8 milhões de pessoas (veja mais informações no link abaixo)."Nós vamos utilizar os recursos disponíveis para fazer isso a um preço mais baixo possível. Nós temos uma demanda muito forte no setor de equipamentos", disse Dilma, lembrando que serão comprados, por exemplo, 243 mil transformadores e 1,5 milhão de postes.Serão investidos nesta primeira fase R$ 2,5 bilhões, dos quais R$ 1,5 bilhão virão do governo federal, que utilizará recursos da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e da Reserva Geral de Reversão (RGR), que estão incluídas nas contas de luz e são pagas mensalmente pelos consumidores. A utilização desses recursos públicos, segundo a ministra, reduzirá significativamente os impactos tarifários nas contas de luz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.