Dilma pede uma semana para se posicionar sobre desoneração da folha, diz CNI

O presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, afirmou nesta quinta-feira que a presidente Dilma Rousseff prometeu em até uma semana dar uma posição sobre se o governo vai tornar permanente a desoneração da folha de pagamento.

Reuters

22 de maio de 2014 | 21h13

Segundo ele, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, está fazendo análises e os estudos sobre o impacto da medida que atualmente beneficia 56 setores da economia, como couro e calçados, confecções, construção civil e comércio varejista.

"A presidente Dilma disse que o ministro Mantega está fazendo as análises e em uma semana vai dar a posição se vai tornar ou não permanente a política", disse Andrade.

Segundo Andrade, não se discutiu a possibilidade de ampliar para mais setores a desoneração da folha de pagamento.

Dilma reuniu-se por cerca de quatro horas com mais de 30 empresários, Mantega e o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, para discutir os benefícios da desoneração e outras demandas dos empresários.

O presidente da CNI afirmou que ficou acertado que os empresários vão detalhar com Mantega e Borges a agenda de trabalho dos empresários.

(Por Nestor Rabello, edição de Tiago Pariz)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRODESONERACAOFOLHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.