Dilma prevê superoferta de energia por 2 ou 3 anos

A ministra Dilma Rousseff disse hoje que o Brasil continuará com superoferta de energia por dois ou três anos. "A oferta e a demanda no País tiveram ciclos diferenciados de crescimento. Hoje a oferta está crescendo muito mais rapidamente em função dos investimentos feitos em decorrência do racionamento de energia. Por isso há o descompasso, mas precisamos pensar agora nos investimentos a entrarem em funcionamento em três ou quatro anos, quando o ritmo de crescimento da demanda estiver maior", comentou. Além disso, disse, é preciso "saber minimizar esta superoferta de maneira que não onere o consumidor e nem comprometa o investidor. A entrada de 6 mil MW este ano significa uma bolha, que não é durável e é uma questão paralela ao modelo", afirmou.

Agencia Estado,

29 Julho 2003 | 11h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.