Dilma rebaterá em NY críticas quanto a 'protecionismo'

A presidente Dilma Rousseff deverá rebater críticas dos países desenvolvidos quanto ao "protecionismo" dos países em desenvolvimento, durante seu discurso na abertura da 67ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). No discurso, Dilma vai apresentar o conceito de "legítima defesa comercial", segundo fontes próximas à presidente.

LEONENCIO NOSSA, ENVIADO ESPECIAL, Agencia Estado

25 de setembro de 2012 | 10h41

Além de dedicar boa parte do discurso à questão da crise financeira internacional e de medidas multilaterais para combatê-la, a presidente também demonstrará preocupação do Brasil com aquilo que os diplomatas chamam de islamofobia. A presidente conversou na segunda-feira (24) com o presidente da Turquia, Abdullah Gul, por telefone.

Na conversa, os dois chefes de Estado manifestaram essa preocupação de que a intolerância religiosa, principalmente no Oriente Médio, possa dar argumentos a intervenções militares de países desenvolvidos na região e ao aumento do preconceito quanto à comunidade islâmica internacional e países islâmicos. A presidente Dilma fará referências de que a intolerância não pode ser barreira nas relações comerciais e econômicas entre os países.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.