Dilma representa 'mais do mesmo', diz ex-ministro Delfim

O economista e ex-ministro Delfim Netto comentou nesta terça-feira, 24, que não vislumbra mudanças na política econômica em um eventual segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. "Vai continuar como está", disse, ao ser questionado durante evento organizado pela Eurocâmaras, em São Paulo. Para ele, Dilma Rousseff representa "mais do mesmo".

BEATRIZ BULLA, Agencia Estado

24 de setembro de 2013 | 11h04

Delfim falou ainda sobre os possíveis adversários da presidente no cenário eleitoral de 2014: "A Marina é a volta para a idade da pedra. O Aécio é um pouco mais ortodoxo", disse. Ele classificou ainda o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) como "muito parecido com o Aécio", no aspecto econômico. "Não tem nenhum programa alternativo que dê conforto", comentou.

Ele afirmou também que é preciso que a palavra "valha" no Congresso. "Quando seu líder negocia, você não pode vetar", comentou. Delfim disse que a resposta do Executivo e do Legislativo para as manifestações de junho foi "apavorante". "O Executivo propôs cinco coisas imediatamente rejeitadas pelo Legislativo. O Legislativo propôs cinco coisas que têm de ser vetadas pelo Executivo porque não cabe no PIB."

Sem mencionar diretamente a revogação das tarifas de ônibus e metrô, Delfim comentou que houve destruição da credibilidade dos contratos, o que era insegurança jurídica "brutal". (Beatriz Bulla - beatriz.bulla@estadao.com)

Mais conteúdo sobre:
DelfimDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.