André Dusek/Estadão
Em seu segundo mandato, Dilma Rousseff enfrenta desafios econômicos e forte oposição política  André Dusek/Estadão

DILMA ROUSSEFF COMPLETA 100 DIAS DE SEGUNDO MANDATO

Além de baixo crescimento, ajuste fiscal e alta dos preços, presidente precisa lidar com forte oposição política e descontentamento popular

Carla Araújo, Karla Spotorno e Mário Braga, Agência Estado

10 de abril de 2015 | 05h00

O segundo governo de Dilma Rousseff completa 100 dias nesta sexta-feira, 10, em meio à queda de popularidade e a uma série de desafios econômicos e políticos.

Com a inflação em alta, baixo crescimento e as contas públicas desequilibradas, o governo precisou recorrer a um "freio de arrumação" na economia e reverter as medidas tomadas desde 2008 para conter os efeitos da crise.

É o chamado ajuste fiscal, que domina o noticiário desde que Joaquim Levy assumiu o Ministério da Fazenda com a missão de cortar gastos e elevar impostos. Tudo isso para evitar que o Brasil perca o grau de investimento, que é uma espécie de "selo" de bom pagador concedido pelas agências de classificação de risco.


Depois de arrumar a casa, a promessa é de que o País volte a crescer, a inflação perca fôlego e a dívida pública estabilize.

Em protesto nesta quinta-feira, 9, parlamentares da oposição levaram à Câmara dos Deputados um bolo decorado em preto e vermelho com os dizeres: "Sem dias (sic) de Dilma 2".


 Em série especial, o Broadcast, serviço da Agência Estado, analisa os cem primeiros dias do segundo governo de Dilma Rousseff, com projeções de especialistas sobre os rumos de seu novo mandato. Veja a seguir:

Perda de capital político dificulta agenda

Dilma precisa reatar relação com o Congresso

 

Apenas ajuste fiscal não garante meta de superávit

 

Convergência da inflação para 4,5% só ocorrerá após 2016

As tendências para os mercados financeiros

As influências sobre os preços dos ativos em 2015

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.