Dilma: se necessário, governo adotará novas medidas

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou hoje, após solenidade de anúncio das novas medidas de incentivo à economia, que o governo continuará atento e que, se necessário, poderá adotar novas ações. "Todas as medidas são necessárias. Elas compõem uma parte do quadro. Nunca achamos que elas são suficientes. O governo está sempre atento e poderá sempre tomar novas medidas porque o acompanhamento dessa crise sempre foi feito dessa forma", disse Dilma.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

29 de junho de 2009 | 14h31

A ministra conclamou os empresários a apostarem na inovação e na engenharia nacional. Segundo ela, a partir do momento em que o Brasil aumentar o nível do investimento, também estará trilhando o caminho de saída da crise. "O futuro é o que o Luciano Coutinho (presidente do BNDES) sintetizou bem: é mais e melhor emprego para nossa população", disse a ministra.

Receita Federal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não negou notícias de que estaria insatisfeito com o desempenho de Lina Vieira, no comando da Receita Federal. Nota da revista Veja desta semana, afirma que o presidente teria admitido aos mais próximos o desejo de demitir Lina. Ao ser perguntado sobre o destino da secretária, ao deixar hoje o Palácio do Itamaraty, Lula limitou-se a afirmar: "é o Guido que cuida disso", referindo-se ao ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Tudo o que sabemos sobre:
impostosIPIDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.