Diplomas de idiomas não garantem emprego

Os diplomas de proficiência em idiomas não são considerados importantes na hora de contratação ou seleção de profissionais, segundo consultores em recursos humanos. Os especialistas avaliam que o diploma é importante para apresentação no currículo pessoal, porém, na hora do teste ou avaliação profissional, o candidato deve provar que domina o idioma através da fluência verbal e a escrita.O presidente do grupo de recrutamento e recolocação profissional Catho, Thomas Case, ressalta que nem sempre o diploma ou certificado de idiomas significa que o candidato domina o idioma. "O certificado não é garantia de que o profissional saiba falar e escrever corretamente o idioma", explica. Case avisa que na hora da seleção do profissional o que interessa é se ele sabe ou não sabe falar o idioma. "Em teste de avaliação de idioma o resultado é o seguinte: o profissional fala ou não fala, não existe meio termo" , alerta o presidente do Catho.O candidato que concorre a uma vaga em empresas que necessitam de profissionais com fluência verbal e a escrita em idioma estrangeiro realiza, normalmente, dois testes de avaliação. O primeiro é realizado na consultoria ou empresa de recursos humanos. Já o segundo teste é realizado diretamente com o seu provável patrão. SeleçãoA diretora da Benvegnú Recursos Humanos, Glaúcia Telles Benvegnú, destaca que os certificados ou diplomas de proficiência em idiomas são importantes para fase de seleção, principalmente para apresentação no currículo pessoal. "A inclusão dos certificados e diplomas de idiomas no currículo é importante para a seleção dos candidatos. Dependendo do nível profissional do candidato pode ser um dos fatores de decisão no recrutamento, ao lado do histórico profissional", explica. Glaúcia Telles informa que os diplomas que têm maior destaque no mercado são o Toffel, o de Cambrigde e das escolas Cultura Inglesa, Cel-Lep e Alumini. Porém, a diretora da Benvegnú Recursos Humanos também ressalta a importância da avaliação e testes práticos. "Para uma vaga profissional é necessário realizar entrevista no idioma em que a empresa necessita", avisa. Ela avisa que os testes mais utilizados são o de fluência verbal, conversação e a parte escrita. Já os idiomas mais procurados são o inglês e o espanhol.Tem que saber falar o idiomaA gerente de recrutamento e seleção dos executivos da empresa de recursos humanos Manager, Lúcia Yvone Waltenberg Pinho, afirma que o diploma não faz diferença na contratação profissional. "O importante é o candidato ter uma boa desenvoltura nas avaliações práticas e escritas. O essencial é o candidato demonstrar que sabe utilizar o idioma para contatos profissionais e negócios", afirma Lúcia Yvone.A diretora-executiva da consultoria de recursos humanos Ativa, Nydia Rocha, ressalta que o diploma muitas vezes não significa que o candidato sabe falar com fluência o idioma. "Existem candidatos que possuem certificados e diplomas mas não conseguem uma boa desenvoltura nos testes e avaliações práticas. O que pesa na hora da contratação é a fluência verbal do candidato", alerta.

Agencia Estado,

05 de setembro de 2001 | 12h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.