Dirceu afirma que governo trabalha por crescimento acima de 4%

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, traçou hoje um cenário positivo para a economia do País em 2005. Segundo o ministro, o Orçamento Geral da União (OGU) cria condições para o Brasil buscar uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) acima de 4% no ano que vem. "Vamos trabalhar para isso, dentro das possibilidades do País, porque não podemos fazer nenhuma política irresponsável. Por isso mesmo é importante aprovar as Parcerias Público-Privada (PPPs), a Lei de Falências, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiar de maneira ágil, assim como o Banco do Brasil, para viabilizarmos investimentos em infra-estrutura", disse o ministro. Dirceu observou que dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram um desemprego no País pouco superior a 10% em outubro, e que a expectativa do governo é de que, em 2005, "a taxa de desemprego deixará de ser de dois dígitos". "Entre 2005 e 2007, o País seguirá em rota de diminuição consistente de desemprego", assegurou. Dentro dessa estratégia de crescimento econômico, o ministro enfatizou que o País tem condições de atingir a meta de exportações estabelecida pelo governo federal de US$ 100 bilhões, já no primeiro semestre de 2005, uma vez que, até a primeira quinzena de novembro deste ano, as exportações ultrapassavam a faixa de US$ 96 bilhões. Sintonia Dirceu falou também sobre sua relação com seu colega do Ministério da Fazenda, Antonio Palocci. Ele disse os dois trabalham em sintonia, embora, eventualmente, existam divergências sobre a forma de colocar em prática os projetos estabelecidos pelas estratégias do governo. "Quando o ministro Palocci ganha, ganha o Brasil, ganhamos todos nós", argumentou Dirceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.