finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dirceu esquece que banco financia governo, diz economista

Os economistas Synésio Batista da Costa e Heron do Carmo, do Conselho Regional de Economia São Paulo (Corecon-SP), disseram hoje que o pedido do ministro da Casa Civil José Dirceu, para que o mercado financeiro reduza as taxas de juros é um ato político só para "inglês ver". De acordo com Synésio, o governo empresta diariamente perto de 65% de todos os recursos disponíveis da economia para se financiar. Para Heron do Carmo, "não há como o mercado reduzir juros com o governo, que é uma fonte segura, tomando dinheiro emprestado".Quanto à previsão do ministro da Casa Civil para a convergência da taxa de inflação para 5,5% na metade de 2004, e a desaceleração da taxa de risco País para o intervalo de 400 a 500 pontos no próximo ano, Synésio disse que não há novidade nesse prognóstico. "Isso só não acontecerá se houver algum movimento inesperado da parte do governo e algum choque externo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.