Dirceu ironiza entrevista de Mantega e Meirelles em Davos

O ex-ministro José Dirceu ironizou hoje, em seu blog, a entrevista concedida na Quinta-feira ontem pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, negando rusgas entre suas áreas e divergências a respeito do ritmo de queda da taxa de juros. Segundo ele, a entrevista foi um "minueto, dançado apesar do frio e da neve, sob a batuta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva"."A quem querem enganar?", questionou Dirceu, que criticou a redução de apenas 0,25 ponto porcentual da Selic, a taxa básica de juros da economia, diante das medidas do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) anunciadas pelo governo na semana passada. "Ou seja, esqueçamos o PAC - e, mais, que o Brasil não cresceu em 2005 e 2006, muito mais pela extraordinária barbeiragem do BC, ou, na pior das hipóteses, pela convicção ideológica e política da maioria de sua diretoria", acrescentou.Para Dirceu, não há fatores que justifiquem a diminuição do ritmo de queda dos juros, já que a inflação está abaixo da meta fixada pelo governo. "Será que Meirelles pensa que todos nós somos idiotas, que a sociedade não vê o conservadorismo e o favorecimento explícito que a política do BC confere aos rentistas e ao sistema bancário, em desfavor do setor produtivo e do conjunto da sociedade?", perguntou o ex-ministro. "Se a maioria da diretoria do BC não concorda com o PAC, então estamos diante de uma nova falsa polêmica. Será que estou completamente errado, e Meirelles é quem está certo? Salvem o Brasil", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.