Diretor da ANP quer renunciar em janeiro

O diretor da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Luiz Augusto Horta Nogueira, comunicou ao Ministério de Minas e Energia (MME) que pretende renunciar ao cargo em janeiro. A decisão foi tomada devido à insatisfação com a falta de atenção do órgão regulador com a área de combustíveis e com a falta de diálogo, neste setor, com o governo federal. Horta foi um dos primeiros diretores da agência e está em seu segundo mandato, que expira em dezembro de 2005. "Decidi tomar esta decisão para que dê tempo para o ministério indicar um novo diretor e fazermos uma transição tranquila", informou Horta. Ele começou na agência na área de combustíveis, mas foi transferido, devido a um rodízio interno, para a área de gás natural. "Nesta área temos um diálogo bom com o ministério, mas falta um diretor que acompanhe de perto a questão dos combustíveis, da qualidade dos produtos", analisa, referindo-se à vaga na direção aberta desde janeiro com a saída de Júlio Colombi.Com sua saída, o ministério terá que correr para indicar novos diretores, já que em janeiro de 2004 vence também o mandato do diretor Nilton Monteiro. Com três diretorias vagas, a ANP não terá quórum para tomar decisões. A ANP, oficialmente, ainda não confirmou o pedido de renúncia de Horta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.