Diretor da Fiesp defende crédito para produção

O diretor de competitividade industrial da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Mario Bernardini, afirmou nesta quinta-feira que o governo precisa dar crédito barato aos investimentos e à produção para proporcionar o crescimento da economia e a queda dos juros, provocando, assim, uma estabilidade e até uma redução da relação dívida-PIB. "Com esse modelo que está aí, que o governo não mudou, não é possível estabilizar a relação dívida-PIB, porque qualquer susto se eleva os juros e a dívida explodem. É preciso criar um movimento simultâneo, nem que seja com crédito diferenciado para investimentos e produção", argumentou. Segundo ele, o governo poderia, por meio das instituições financeiras que controla, como Caixa Econômica Federal (CEF), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco do Brasil (BB), dar crédito a Selic mais 8% ao ano. "Isso forçaria os bancos privados a baixar os juros também, para não perderem clientes", disse. Bernardini afirmou que se isso for feito, os investimentos aumentarão, a capacidade instalada da indústria aumentará e evitará uma inflação de demanda quando a economia voltar a crescer. "Com inflação em ordem, é possível baixar os juros", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.