Diretor da Fiesp diz que ?pauta positiva? é corte de juros

O diretor do Departamento de Competitividade da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Mario Bernardini, defende que, entre as medidas do governo para agilizar a retomada do crescimento econômico, dentro da chamada agenda positiva que será relançada pelo governo em março, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deveria pedir ao Banco Central para deixar de "ser mais realista do que o rei e reduzir as taxas de juros". Na avaliação do empresário, não adianta nada o governo anunciar medidas para agilizar o crescimento econômico, se o BC continuar remando contra a corrente. "Nada será feito apenas com anúncios, mas sim com medidas concretas", avaliou Bernardini, referindo-se ao corte de juros como a ação concreta. Ele considera que o governo tem de discutir com o BC metas menos ambiciosas de inflação para tirar o País da pasmaceira em que se encontra no momento.Ontem, o presidente Lula pediu, em reunião, que os ministros agilizem as medidas para a retomada do crescimento econômico. O pedido de pauta positiva foi interpretada como uma forma de contrapor os danos políticos causados pelo caso Waldomiro. Lula quer que o ministro Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) apresente até 11 de março a proposta de política industrial ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES). A previsão é de que o projeto venha a público em 31 de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.