Diretor da Linux defende empreendedorismo digital

Jon ''Maddog'' Hall apresenta na Campus Party projeto para aumentar acesso à internet

Tatiana de Mello Dias, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

Antes mesmo que começasse a primeira grande palestra internacional de ontem, Jon "Maddog" Hall já atraía os olhares na Campus Party. O diretor-executivo da Linux Internacional é um dos gurus do software livre no mundo, e sua aparência de Papai Noel (lembrada pelo próprio com um "ho-ho-ho" ao pegar os microfones) não esconde a experiência: são 42 anos trabalhando na indústria da computação.

Maddog veio apresentar o projeto Cauã, que tem por objetivo aumentar a inclusão digital e criar empreendedores na área de software livre. Quando subiu ao palco, recebido por aplausos, gritos e assovios, já disse a que veio. "Muita gente chega para mim e pergunta: Maddog, como posso fazer dinheiro com software livre?" A solução proposta por ele passa por três pilares: educação, inclusão digital e profissionalização.

Maddog aposta na criação de bolhas de Wi-Fi para aumentar o acesso à internet. Isso seria feito por meio dos próprios colaboradores, que se tornariam emissores de sinal. O projeto, segundo ele, poderá criar milhões de empregos de alta tecnologia, torna os computadores mais simples e eficientes, cria uma computação mais amiga do meio ambiente e usa um financiamento sustentável no setor privado.

O modelo é baseado em thin clients, computadores simples e leves, com processadores Atom. Maddog calcula dois thin clients por pessoa (uma em casa, e outra no trabalho), e mais 92 milhões de terminais POS. No total, seriam 400 milhões de pontos no País.

O acesso seria implantado por um esquema próprio de redes: quem trabalha com software livre seria um empreendedor que implantaria o sistema ao seu redor. Para isso, é preciso investir em capacitação técnica - que, reiterou Maddog, a maioria dos presentes ali já tinha - e noções de business. "Como conseguir dinheiro de seus clientes", trocou em miúdos o guru do Linux.

Passo inicial. Segundo Maddog, a média de salário na área é de R$ 4 mil por mês. Iniciantes embolsam R$ 2 mil. O mercado de trabalho é grande - segurança, software, redes, automação. A inclusão geraria demanda por profissionais em várias áreas, e o passo inicial é fazer um investimento em uma rede eficiente e um bom equipamento.

Segundo Maddog, os computadores thin clients seriam produzidos por pequenas empresas no Brasil. Teriam configuração simples e custariam US$ 200.

E como ser um empreendedor? Maddog foi claro: aprenda software livre, entenda a proposta, compre seu material e comece a fornecer o serviço aos consumidores. A implementação é totalmente aberta e é de propriedade da comunidade.

PONTOS-CHAVE

Televisão

A Campus TV está funcionando, tendo habilitados quatro canais, a fim de captar diferentes atividades ao mesmo tempo. São eles: Criatividade, Inovação, Ciência e Arena Campuseiros.

Nasa

O engenheiro da Nasa Mike Comberiate e o brasileiro Marco Figueiredo, consultor da agência, anunciaram que querem levar dez estudantes brasileiros para um estágio na agência.

Palestra

Um dos destaques de hoje na Campus Party é a palestra de Stephen Crocker, que tem trabalhado com internet desde a criação da rede. Atualmente, é o CEO da empresa Shinkuro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.