Diretor da Petrobras não comenta defasagem de preços

O diretor financeiro da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, não quis comentar hoje a defasagem entre os preços da gasolina e do diesel no mercado interno e os preços do petróleo no mercado internacional. "Não falo nada sobre isso."Ele ainda se esquivou quando foi perguntado pelos repórteres se ele sequer daria a resposta padrão - de que a Petrobras está acompanhando os preços no mercado internacional e não pretende passar para o mercado interno esta volatilidade. "Nem essa (resposta) hoje eu dou", disse Gabrielli.Mercado de açõesEle destacou que as ações da companhia foram as que mais valorizaram entre as companhias de petróleo nos últimos dois anos na Bolsa de Nova York. "Mais do que o dobro da segunda colocada que foi a Petrobras energia", disse.As ações da Petrobras tiveram alta de 228% entre janeiro de 2003 e fevereiro de 2005, passando de US$ 14 para US$ 46 no período. Com variação de 176%. A segunda colocação ficou com a Petrobras Energia, seguida pela ConocoPhillips, com valorização de aproximadamente 120%. Segundo ele, a companhia estuda para breve o desmembramento de suas ações, mas ainda não existe previsão de quando isso vai acontecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.