Diretor do BC não faz previsão para taxa de câmbio

O diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Alexandre Schwartsman, afirmou hoje que não antecipa nenhum impacto da mudanças das normas cambiais anunciadas hoje sobre a taxa de câmbio. Ele ressaltou que o que o Banco Central está fazendo hoje basicamente é simplificar as regras de operações que já são feitas na prática pelo mercado. A única novidade citada pelo diretor foi a autorização legal para a realização de empréstimos de pessoas físicas e jurídicas no Brasil a pessoas físicas e jurídicas residentes no exterior. Mesmo essa operação já era possível anteriormente pelas contas CC5 - usadas para transferência de moeda ao exterior.Mercado da dívida já reagiuNo mercado da dívida, os títulos brasileiros subiram em reação às medidas anunciadas. O Global 40, mais negociado, encerrou na máxima do dia, cotado a 118,20 centavos de dólar, alta de 1,50%. O C-Bond encerrou em alta de 0,43%, a 102,00 centavos de dólar.Às 18h28, o risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do país - estava no menor patamar desde 27 de dezembro de 2004 (quando finalizou a 377 pontos base), uma queda de 9 pontos para 379 pontos base.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.