Diretor do Fed afasta corte emergencial de juro nos EUA

As recentes turbulências do mercado financeiro internacional não deveriam alimentar as expectativas de que o banco central americano (Fed) irá repetir o corte de juro emergencial que fez em janeiro, entre as reuniões programadas, disse hoje o presidente da regional do Fed de Dallas, Richard Fisher - ele tem poder de voto no comitê de mercado aberto do Fed este ano."Eu desencorajo vocês a pensar que simplesmente por causa de uma movimentação significativa dos mercados de crédito, como tivemos ontem, que de repente vamos ter uma reunião do Fed e que inesperadamente vamos mexer nos juros como resposta", disse Fisher em entrevista à rede de televisão Bloomberg, após participar de conferência em Paris. "Não funciona desta forma."O BC americano reduziu a taxa básica de juro extraordinariamente no dia 22 de janeiro (em 0,75 ponto porcentual) e repetiu a medida no encontro programado no dia 30 do mesmo mês (com corte de 0,5 ponto porcentual). Atualmente, a taxa de juros nos EUA está em 3% ao ano.Fisher foi o único membro do Fed que votou contra o corte de 0,50 ponto porcentual no juro na reunião regular do BC americano no final de janeiro. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.