finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Diretor do FMI pede iuane mais forte e defende o dólar

Strauss-Kahn reconhece que dólar será a principal moeda de reserva por algum tempo

Efe

16 de novembro de 2009 | 04h20

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, pediu nesta segunda-feira, 16, à China que fortaleça o valor do iuane para ajudar a melhorar a situação econômica global, defendendo a manutenção do dólar como moeda de reserva internacional.

 

Strauss-Kahn, participante no Fórum Financeiro Internacional realizado em Pequim, respondeu assim aos pedidos de países como China para criar uma nova divisa transnacional que substitua a americana nas reservas mundiais, e também à atitude chinesa de manter sua moeda a um preço baixo para beneficiar suas exportações.

 

"Acho que o dólar continuará sendo a principal moeda de reserva durante algum tempo", admitiu Strauss-Kahn em seu discurso, afirmando que o atual sistema monetário internacional "apesar de seus problemas, está ainda funcionando razoavelmente bem".

 

"Provou ser forte na recente crise, e as preocupações acerca do dólar a curto prazo podem diminuir mediante ações apropriadas das autoridades americanas", completa o diretor-gerente do FMI.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.