seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Diretor financeiro da butique Daslu consegue liminar

O empresário Antonio Carlos Piva de Albuquerque, diretor financeiro da butique Daslu, ganhou a liberdade nesta sexta-feira. O desembargador Luiz de Lima Stefanini, da 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, reconsiderou decisão e determinou a expedição de alvará de soltura.Piva de Albuquerque, irmão de Eliana Tranchesi, dona da Daslu, estava preso há nove dias sob acusação de sonegação de impostos e descaminho no Centro de Detenção Provisória de Guarulhos.A ordem de prisão preventiva foi expedida pela juíza Maria Isabel do Prado, da 2ª Vara Criminal Federal em Guarulhos, grande São Paulo, a pedido do procurador da República Matheus Magnani.O pedido de prisão de Piva de Albuquerque foi feito depois que o Ministério Público sustentou que a Daslu continuava importando mercadorias de modo ilegal. De acordo com o MP, uma empresa chamada Columbia Trading omitiu da Receita que os produtos haviam sido importados a pedido da butique de luxo.A Columbia Trading afirma que toda a sua mercadoria importada e apreendida pela Receita Federal foi importada regularmente e todos os impostos foram pagos. A empresa diz também que os produtos foram importados por conta própria para comercialização no mercado interno.Eliana Tranchesi, Antonio Carlos Piva de Albuquerque e os proprietários de cinco importadoras que operavam para a Daslu respondem na 2ª Vara Federal de Guarulhos a processo por formação de quadrilha, descaminho e falsidade ideológica. A denúncia contra os empresários foi aceita em 13 de dezembro.As informações são da Revista Consultor Jurídico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.