Diretor-geral da ANP confia em decisão do STF

O diretor-geral da ANP, embaixador Sebastião do Rêgo Barros, voltou a garantir que o leilão da sexta rodada de áreas de exploração de petróleo será realizada, apesar da decisão do STF. Um dos pontos da lei que deixaram temporariamente de ter vigência é o que garante ao vencedor do leilão a propriedade do que for extraído das áreas de exploração. "Vai haver o leilão. Não temos porque impedir o leilão", garantiu o embaixador durante entrevista no programa Conta Corrente, da Globo News. "Eu tenho a convicção de que o plenário do STF saberá trazer de volta a legalidade àquele ponto que, sinceramente, eu acho que fugiu-se um pouco à estrita observância de princípios legais."Rego Barros, no entanto, não quis adiantar que tipo de efeito esta liminar teria sobre o resultado do leilão. "Não posso chegar aqui e dizer que não aconteceu nada. Alguma coisa aconteceu", admitiu. O diretor-geral da ANP também procurou minimizar as queixas que têm sido feitas contra o leilão, particularmente quanto ao aspecto da possibilidade de o óleo ser exportado para os países de origem das empresas."Se o mercado interno estiver desabastecido, a ANP pode deixar de autorizar a exportação, o que está tanto na lei quanto nos contratos que são assinados com os concessionários (...) Nós podemos nos tornar grandes produtores, criar muito emprego, ter crescimento. Eu não vejo porque ter essa atitude tão medrosa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.