Diretor indicado para o BC defende austeridade

O economista Afonso Beviláqua, indicado para o cargo de diretor de Política Econômica do Banco Central, disse hoje que a melhora dos indicadores econômicos ocorrida nos últimos meses se deve, em sua maior parte, à austeridade das políticas monetária e fiscal adotadas pelo governo Lula e também ao envio rápido das reformas da previdência e tributária.Beviláqua, que participou de sessão da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, disse que a desaceleração da inflação foi alcançada graças à elevação da taxa de juros, ao aumento do compulsório dos bancos e à retomada da confiança.Beviláqua ressaltou que, apesar disso, a convergência da inflação para as metas vem ocorrendo em velocidade mais lenta do que o esperado. "Caso a inflação persista em níveis maiores do que os desejados, há risco de que os agentes (econômicos) atribuam, na formação de suas expectativas de preços, um preço maior à inflação passada e às perspectivas de inflação futura", disse.O diretor indicado de Política Econômica do Banco Central disse que o regime de metas da inflação tem permitido que bancos centrais de outros países consigam resultados melhores, tanto em relação à inflação quanto em crescimento. Ele disse que caso seu nome seja aprovado pretende aprimorar o modelo de metas de inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.