Dirigentes da Embraer dão explicações a Lula sobre demissões

Foram desligados 4.200 dos 21.000 empregados da empresa, em que União tem participação acionária majoritária

Leonencio Nossa, de O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2009 | 15h08

O presidente da Embraer, Frederico Curado, e três diretores da empresa estão no Palácio do Planalto, para uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com os ministros Guido Mantega (Fazenda), Dilma Rousseff (Casa Civil) e Miguel Jorge (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).   Veja Também: As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise      Os dirigentes da Embraer foram chamados por Lula, que quer explicações sobre a recente demissão de 4.200 dos 21.000 empregados da empresa, em que a União tem participação acionária majoritária.   Lula discorda das demissões porque recentemente a empresa recebeu recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimento na produção de aviões de passageiros.   Os quatro dirigentes da Embraer, ao chegarem ao Planalto, confirmaram que estavam chegando para um encontro com Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.