Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dirigentes sindicais pressionam por mudança na tabela do IR

Dirigentes sindicais iniciaram hoje um corpo-a-corpo no Congresso Nacional para pressionar os parlamentares a aprovar ainda neste ano a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). Eles tiveram reuniões com senadores da bancada do PT, líderes dos partidos da base aliada e o líder do governo no Senado, senador Aloizio Mercadante (PT-SP). "Há uma sensibilidade muito grande dos parlamentares com a demanda pela correção da tabela", disse à Agência Estado o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos ABC, José Lopez Feijóo.Segundo ele, a "sensação" que ficou depois das reuniões com os parlamentares é a de que não haverá dificuldade para a aprovação da correção com rapidez pelo Congresso. Para entrar em vigor em 2005, a proposta tem que ser aprovada até o final do ano.Feijóo disse que a reunião de amanhã dos sindicalistas com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, será decisiva para a definição de uma proposta. Segundo ele, qualquer negociação só começa com pelo menos a correção da tabela pela inflação acumulada durante o período do governo Lula, estimada em 17%.Ele acha possível conciliar uma proposta que mescle alguma correção pela inflação com mudanças na estrutura da tabela, como a alteração das atuais duas faixas de alíquotas do IR de 15% e 27,5%. "Uma mudança na tabela pode representar o mesmo resultado do que uma correção. O importante é que o imposto seja reduzido", disse Feijóo.Críticas O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos rebateu avaliação feita hoje pelo ministro Palocci de que o Imposto de Renda no Brasil não é alto. "Ah! É altíssimo", disse Feijóo. "E cada vez mais quem ganha menos está pagando o Imposto de Renda com a não correção da tabela", criticou.

Agencia Estado,

07 de dezembro de 2004 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.