Disciplina financeira é a chave para uma vida sem neuras
Conteúdo Patrocinado

Disciplina financeira é a chave para uma vida sem neuras

Desenvolver a cultura de se planejar financeiramente é o segredo para uma melhor qualidade de vida tanto no presente quanto no futuro

MAG Seguros, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

30 de dezembro de 2020 | 12h04

O fim de ano costuma ser um período de balanço, tempo de refletir sobre os erros e acertos, além de ser uma época perfeita para traçar metas para o ano vindouro. 

2020 praticamente já terminou, mas 2021 está chegando. Temos um ano inteirinho pela frente para colocarmos de pé nossos projetos, terminarmos o que começamos anteriormente e organizarmos nossas finanças, a começar pela série de gastos que iniciam em janeiro, como os boletos de IPTU, IPVA, licenciamento do carro, lista do material escolar das crianças e o Imposto de Renda. 

“Muitos se empolgam com o 13º salário e vão às compras sem fazer contas, ainda mais em tempos de compras virtuais”, diz Márcio Batistuti, diretor de Varejo da MAG Seguros. 

É também por isso que planejamento financeiro é importante. Cada um precisa conhecer o seu contexto financeiro: quais são seus gastos fixos, quais são seus gastos variáveis (transporte, alimentação, habitação, cuidados pessoais), despesas adicionais (lazer, vestuário, que não precisam acontecer todos meses) etc.

A boa notícia é que há uma série de ferramentas gratuitas para ajudar aqueles que desejam se organizar. Uma delas é a planilha de orçamento pessoal da MAG Seguros, disponível no link abaixo. Quem pensa que basta saber como o dinheiro é empregado engana-se. É preciso traçar metas: reservar dinheiro para as férias ou para a previdência privada e para um seguro, que proteja seu padrão de vida e/ou seus dependentes, caso alguma coisa aconteça com você.

PLANILHA DE ORÇAMENTO MAG SEGUROS

Para ilustrar a importância do planejamento financeiro, Batistuti lembra da história de Konrad Dantas, o produtor musical brasileiro conhecido como Kondzilla. “A mãe morreu e deixou um seguro para ele e para o irmão (Kauê) com a ideia de que poderiam comprar uma casa. Mas eles pegaram o dinheiro e investiram em educação”, diz o diretor de Varejo da MAG. Kauê cursou odontologia e Kondzilla fez curso de cinema. Hoje, seu canal no YouTube está entre os dez maiores do mundo. 

Em geral, o brasileiro não tem a cultura de se planejar financeiramente devido à história do País, que viveu longos períodos de hiperinflação, e também por ser um país tropical, que, diferentemente das nações de clima temperado, não tem um inverno rigoroso, que demanda que as pessoas se planejem melhor. Mas isso tem mudado por meio da educação do público jovem (veja as dicas ao lado). Hoje há uma série de canais nas redes sociais que falam sobre o tema e dezenas de empresas especializadas nesse tipo de assessoria. Uma delas é a MAG Seguros, companhia com 185 anos de mercado e expertise em atender diferentes perfis de clientes em distintos momentos de vida.

1º Controle seus gastos: 

Anote num caderno, numa planilha de Excel ou num aplicativo todos os seus gastos, a começar pelas despesas fixas (aluguel, plano de saúde), passando para os gastos variáveis (luz, água, transporte) e despesas adicionais (lazer, vestuário).

2º Poupe primeiro, gaste depois: 

Em vez de “poupar” o que sobrar, separe a quantia que quer investir e gaste o que sobrar. Para usar o que sobrou, pesquise e compare preços para gastar menos e com mais sabedoria.

3º Conheça as ferramentas financeiras:

É importante conhecer todas as opções de crédito e investimentos disponíveis para ver a que melhor se encaixa em cada perfil.

4º Estipule objetivos claros: 

Não seja genérico. Estipule o que você quer — por exemplo, “fazer uma pós-graduação” — e trace metas de como economizar dinheiro ou ganhar mais dinheiro para alcançar seu objetivo.

5º Renegocie dívidas: 

As empresas sabem que, no fim de ano, as pessoas recebem 13º salário e ficam mais abertas à renegociação. Comece pelas dívidas com juros maiores, que podem se transformar em um pesadelo futuro.

6º Reserve o dinheiro das férias: 

Se estiver com as contas em dia e quiser descansar, destine parte do seu 13º salário ou bonificações para o seu projeto e evite novas dívidas.

7º Guarde dinheiro: 

Destine 10% de seu salário para uma reserva financeira. Comece com um investimento em previdência privada, que possibilitará abater até 12% do valor da sua renda bruta anual no Imposto de Renda.

8º Proteja seu patrimônio: 

Consulte os seguros de vida que podem ajudar você a manter o padrão de vida, caso fique sem trabalhar ou até mesmo seja afastado por uma doença grave. Não conseguir gerar renda pode ser um grande impacto na sua organização financeira. 

9º Ampare quem você ama: 

Já pensou como ficariam as despesas da sua família na sua ausência? Com um seguro de vida, em caso de morte, as pessoas que você ama recebem uma indenização para ajudar na organização financeira. São coisas em que não gostamos de pensar, mas que precisamos considerar no planejamento financeiro familiar.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.