Discussão com Paraguai ainda está em aberto, diz Ramalho

Segundo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, governo paraguaio quer promover discussão sobre o aumento da Tarifa Externa Comum

Agencia Estado

02 de julho de 2007 | 09h27

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior, Ivan Ramalho, afirmou nesta sexta-feira, 29, que ainda está em aberto a discussão no Mercosul de elevar a Tarifa Externa Comum (TEC) de confecções e de calçados para o teto de 35%. Ramalho informou que a proposta paraguaia é de promover uma discussão sobre o tema entre a indústria brasileira e empresários do Paraguai. Ele destacou que não se trata de uma discussão com importadores paraguaios, mas com produtores, sobretudo do setor de confecções. A decisão da Câmara de Comércio Exterior do Brasil de elevar a TEC, em maio passado, prescindia da aprovação do Mercosul para ser aplicada efetivamente. A medida foi tomada pelo governo brasileiro em atendimento às queixas do setor importador de competirem no mercado interno com produtos chineses subfaturados, em uma relação cambial desfavorável. No Mercosul, a decisão deveria ter sido tomada durante a reunião, na quinta-feira, do Conselho do Mercado Comum, em Assunção, no Paraguai, que reúne os ministros de Relações Exteriores e da Fazenda dos quatro países originais do Mercosul. Entretanto, diante da possibilidade de veto do Paraguai, a medida não chegou nem a ser discutida no Conselho. Ramalho informou que conversou na noite de quinta com representantes da Associação Brasileira da Indústria Calçadista e da Associação Brasileira da Indústria Têxtil para relatar essa situação.

Tudo o que sabemos sobre:
TECMercosul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.