Disparada do dólar tem efeito limitado sobre os preços

Entre o início de março e a última sexta-feira, o dólar se valorizou 20% em relação ao real - saiu de R$ 1,70 para R$ 2,04. Sempre que o mercado de câmbio sofre uma mudança tão brusca, os economistas esperam um impacto sobre a inflação. É o chamado pass-through (repasse).

O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h06

Em geral, estima-se que cada 10% de desvalorização do real implique alta de 0,50 ponto porcentual do IPCA, o índice de preços oficial do País.

Mas, no ambiente atual das economias brasileira e global, os analistas do banco Credit Suisse estimam um efeito menor. Em primeiro lugar, porque "os preços das commodities agropecuárias não aumentaram muito em reais (uma vez que a alta do dólar foi compensada pela baixa dos preços no mercado global)".

O segundo fator está relacionado ao menor repasse da variação de custos de insumos para os bens finais nos últimos anos no Brasil. Por fim, eles notam que serviços e preços administrados tendem a sofrer menos hoje, "dado o menor efeito sobre os preços de alimentos e bens industriais". / L.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.