Disputa entre EUA e China preocupa OMC

A guerra comercial entre China e Estados Unidos pode abrir uma fase nas relações entre os países de ''olho por olho, dente por dente'' e põe a Organização Mundial do Comércio (OMC) em alerta. Para o diretor-geral da entidade, Pascal Lamy, o temor é que a situação criada pelos dois gigantes do comércio provoque retaliações mútuas. Lamy participa na semana que vem da reunião das 20 maiores economias (G-20) nos EUA. Mas admite que os países do grupo desrespeitaram suas próprias promessas de retirar barreiras e distorções criadas no primeiro momento da crise.

AE, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 09h03

Na semana passada, o presidente americano Barack Obama anunciou a criação de uma taxa sobre a importação de pneus chineses, depois de ser pressionado pelos trabalhadores do setor, alegando que os produtos importados estavam tirando empregos. A China respondeu na segunda-feira abrindo uma queixa na OMC e iniciando investigações de dumping contra o frango e autopeças americanos. A disputa chegou a abalar as bolsas de valores.

''Isso é motivo de preocupação'', admitiu Lamy. Ele acredita que os problemas são pelo menos dois. O primeiro: as medidas adotadas pelos dois países são contrárias às promessas feitas pelo G-20 para evitar uma piora da crise. Em relatório que circulou no início da semana, Lamy indicou que se há sinais positivos na economia mundial, os governos deveriam começar a pensar sobre como retirar as barreiras que criaram nos primeiros momento da crise. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.