Disputa sobre agrícolas ameaça acordo na Rodada de Doha

Os negociadores de um acordo comercialglobal não conseguiram resolver os desentendimentos sobre umaimportante questão técnica nas negociações agrícolas nasexta-feira, deixando em dúvida a realização de uma reuniãoministerial. Adiar essa reunião pode ter um efeito devastador quecolocaria em perigo o acordo como um todo, já que autoridadescomo o Comissário de Comércio da União Européia, PeterMandelson, disseram que este ano pode ser a última chance deconcluir a Rodada de Doha. Negociadores temem que um acordo comercial, que podeampliar a confiança em uma economia mundial atingida pela crisefinanceira e os altos preços dos alimentos, pode não seralcançado quando o novo presidente dos Estados Unidos, comnovas prioridades, substituir George W. Bush em 2009. Diplomatas da Organização Mundial de Comércio vão passar aomenos outra semana trabalhando em uma proposta para protegerprodutos sensíveis da redução das tarifas, disse a repórteres oembaixador da Nova Zelândia na OMC, Crawford Falconer. Falconer, que preside as negociações de agricultura na OMC,afirmou que isso também daria aos negociadores mais tempo paratrabalhar em regras para o comércio de produtos tropicais e otratamento preferencial de importações da União Européiaprovenientes das colônias européias. "A opinião deles foi de que precisam de mais tempo, nãoporque eles acham que têm muito tempo...mas porque eles estãode fato fazendo progressos é que precisam de um pouco mais detempo para garantir que o progresso funcione", disse ele sobreas negociações de produtos tropicais e preferencias. Esse tempo extra vai atrasar uma série de processosligados, como negociações, consultas e reuniões que, segundo umcalendário informal traçado em meio a um crescente otimismosobre um acordo, culminaria com uma reunião ministerial nasemana de 19 de maio para fechar o esboço de um acordo. REUTERS CM DL

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.