Distribuidoras querem aumento de combustíveis

Os consumidores devem se preparar para mais um possível aumento de combustíveis antes da virada do ano 2000 para 2001. De acordo com executivos de distribuidoras, o aumento médio do álcool anidro para o consumidor deverá ser de 7% a 8% no caso do álcool e de até 2% na gasolina, que leva até 20% de álcool misturado.Júlio Bueno, diretor da BR Distribuidora, disse que a empresa irá repassar para suas revendas um aumento de cerca de 6% no caso do álcool hidratado e de 1,5% na gasolina. O problema, segundo os distribuidores, é que as usinas subiram este ano os preços em até 50%. O gerente da Ipiranga, José Augusto Correia, informou que em novembro, o álcool hidratado era vendido pelas usinas na média por R$ 0,57 e que este mês já estão cobrando R$ 0,60. Já o álcool anidro, o aumento foi de R$ 0,64 em novembro para R$ 0,71 em dezembro.Os preços no mercado são livres e variam de uma distribuidora para outra. Os distribuidores, presentes hoje à reunião de divulgação de estatísticas do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), alertaram que a tendência é mesmo a do aumento no álcool, afetando a gasolina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.