Distribuidoras têm prejuízo em São Paulo, diz Sindicom

O diretor para a defesa da concorrência do o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom), Alísio Vaz, disse que as distribuidoras ligadas à entidade têm prejuízo atuando em São Paulo no comércio do álcool por causa da sonegação de impostos. De acordo com ele, o preço praticado em São Paulo nos postos deveria ser de R$ 1,05, mas o preço médio levantado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) é de R$ 0,97 no Estado. "Para se ter uma idéia da sonegação, as distribuidoras comercializam 75% da gasolina em São Paulo e apenas 30% do álcool. Portanto, não há controle e temos de baixar o preço e operar no prejuízo com o álcool para podermos concorrer", disse Vaz. Rebatendo as críticas de que o Sindicom determina os preços nos mercados onde controla, Vaz afirmou que o valor de custo do álcool em Brasília nos postos é de R$ 1,09. "O resto é margem (de postos e distribuidores) e como as empresas visam lucro, nada mais normal que isso ocorra", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.