Divergência sobre metas tira Casseb do Pão de Açúcar

Divergências sobre as metas a seremperseguidas pelo grupo Pão de Açúcar em 2008 causaram a saídade Cássio Casseb da presidência da companhia, informou aempresa. O executivo --ex-presidente do Banco do Brasil e que haviaingressado no Pão de Açúcar em 2006-- foi retirado do cargo pordecisão do Conselho de Administração, anunciou o grupovarejista em fato relevante nesta segunda-feira. "A companhia está altamente voltada para resultados. Asmudanças introduzidas por Cássio Casseb foram muitoimportantes, trouxeram ganhos para a empresa em algunssegmentos, mas em compensação os resultados foram relativamentefracos", informou a assessoria de imprensa do Pão de Açúcar aoser questionada sobre o motivo do afastamento do executivo. "Para 2008, a empresa quer ter uma performance maisagressiva e o não compartilhamento dessas metas foi o motivo dasaída", acrescentou a assessoria sem informar os objetivos dacompanhia para o próximo ano. O grupo deve eleger um sucessor para Casseb até a próximasexta-feira, segundo comunicado assinado pelo presidente doConselho, Abílio Diniz. Casseb ingressou no Pão de Açúcar em meio ao processo deprofissionalização na gestão da empresa comandada até entãopela família Diniz. No terceiro trimestre, o lucro do Pão de Açúcar, que tem arede francesa Casino como acionista, cresceu 10,2 por cento emrelação ao mesmo período do ano passado, para 35 milhões dereais. O resultado marcou a primeira melhora no desempenho daempresa após cinco trimestres de queda no lucro. Neste ano, o Pão de Açúcar perdeu a liderança no varejobrasileiro para o Carrefour, que comprou a rede Atacadão. As ações do Pão de Açúcar negociadas na Bolsa de Valores deSão Paulo chegaram a recuar 3 por cento no final da manhã destasegunda-feira, depois de terem iniciado os negóciospraticamente estáveis. "O Casseb era bem visto pelo mercado, estava desempenhandoseu papel no Pão de Açúcar, mas com pouco sucesso aparente",disse um analista do setor de varejo que pediu para não seridentificado. "O que acontece é que (com a entrada de Casseb) houve umaexpectativa de melhora da rentabilidade e o que aconteceu de lápara cá foi uma queda. A saída dele cria dúvida sobre qual seráa estratégia da empresa para aumentar a rentabilidade e essadúvida pode gerar volatilidade nas ações no curto prazo",acrescentou. Às 12h48, os papéis do Pão de Açúcar caíam 1 por cento,para 33,16 reais, enquanto o índice Bovespa operava estável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.