Diversificação em uma única carteira atrai investidor

Carteira balanceada, com a aplicação de parte dos recursos em renda variável, amplia ganhos

Tom Morooka, O Estadao de S.Paulo

05 de dezembro de 2007 | 00h00

Os fundos multimercados, destaque da indústria neste ano, tendem a continuar sustentando a condição de uma das principais opções de investimentos. Após passar por inovações, o produto tirou proveito do processo de queda dos juros, iniciado em 2006, e deslanchou em 2007. A captação líquida positiva acumulada até outubro estava perto de R$ 30 bilhões. Os especialistas apostam na manutenção do cenário que vem empurrando os investidores para os multimercados, cuja carteira diversificada possibilita aplicações em títulos de renda fixa e de renda variável, principalmente em ações. O principal estímulo a essa migração é o processo de queda da taxa básica de juros que, embora interrompido, poderá ser retomado em 2008. "A forte queda do CDI (juro interbancário que serve de referência para as aplicações de renda fixa) levou o investidor a procurar opções mais rentáveis, como o multimercado. A valorização das ações, como resposta a essa migração, também reforçou o interesse por esse produto", avalia o consultor de Investimentos Eduardo Santalúcia.A grande vantagem dos fundos multimercados está na diversificação de investimento em uma única carteira, balanceada com títulos de renda fixa, ações e até cambiais. Neles, o investidor pode obter rendimento superior ao juro calibrando o grau de risco de acordo com seu perfil, em geral com maior ou menor parcela de ações na carteira.É com essa parte dos recursos aplicada em ações que, em geral, os multimercados alcançam determinado rendimento acima do juro DI. Com a flexibilidade que o produto oferece, o gestor tem condições de trocar os títulos em carteira conforme as oportunidades que pintam no cenário econômico. "Foi essa flexibilidade que possibilitou o bom desempenho do multimercado neste ano e mantém boa a perspectiva para 2008", comenta Moacyr Castanho, diretor-gerente da Diretoria de Fundos de Investimento do Banco Itaú. O superintendente de Gestão de Fundos do ABN Amro Asset Management, Eduardo Castro, explica que a administração flexível da carteira permitiu que os gestores revissem estratégias e tirassem proveito, sobretudo, da alta da Bolsa e da queda dos juros no primeiro semestre."Uma das características que deixam o investidor mais confortável é o fato de o multimercado ser um produto um pouco mais conservador, com oscilação menos acentuada das cotas do que um fundo de ações", avalia Luiz Soares, diretor de Renda Fixa e Multimercados da Bradesco Asset Management (Bram). Soares também destaca que o gestor consegue mudar estratégias de acordo com o cenário tirando proveito, por exemplo, da diferença de taxas e preços no mercado (arbitragem), em vez de pôr ações na carteira. "É possível apostar na alta ou na baixa de determinado papel de acordo com o cenário." O papel do gestor, segundo Soares, é como se numa corrida de cavalo o torcedor mudasse a aposta de um animal para outro conforme o ritmo da disputa.Embora o cenário externo projete incerteza sobre o comportamento da economia mundial, sobretudo dos EUA, no rastro da crise do mercado americano de hipotecas imobiliárias, a perspectiva é considerada positiva para os fundos multimercados no próximo ano. A torcida é para que o Banco Central retome a redução do juro básico e as agências de classificação de risco elevem o Brasil a grau de investimento (investment grade), o que poderia manter e até reforçar o fluxo de capital estrangeiro para a compra de ações de empresas brasileiras. Mais dinheiro na Bolsa e alta dos papéis elevam a rentabilidade da parte da carteira amarrada em ações.A manutenção e até o agravamento da volatilidade no próximo, como prevêem os especialistas, não torna contra-indicado o produto como opção de investimento. A flexibilidade de gestão possibilita ganhos com apostas na alta ou na baixa dos mercados. A continuidade de bruscas oscilações de preços e taxas exige, contudo, maior cautela. O investidor que for para um fundo multimercado deverá mirar rentabilidade no médio e longo prazo. FRASESMoacyr CastanhoDiretor de fundos de Investimento do Itaú"Flexibilidade de gestão possibilitou o bom desempenho dos fundos multimercados e manterá boa a perspectiva para o próximo ano"Luiz SoaresDiretor de Multimercados da Bradesco Asset Management"É um produto um pouco mais conservador, com oscilação menos acentuada das cotas que em um fundo de ações"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.