Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dívida da Argentina cresceu quase US$ 3 bilhões em 2002

Apesar da moratória argentina declarada em dezembro de 2001, a dívida cresceu US$ 2,9 bilhões em 2002. Em relação ao PIB, a dívida passou de 53,8% para 151,2%. Embora a desvalorização, a pesificação e a indexação de certos instrumentos tenham gerado uma economia de US$ 30,2 bilhões e que o governo tenha pago quase US$ 6 bilhões aos organismos internacionais, foi ou será emitida nova dívida de US$ 28,4 bilhões para compensar bancos e depositantes prejudicados pela pesificação dos depósitos.Também foram acumulados US$ 10,4 bilhões em juros e capital não pagos pela moratória. Este é o resultado de um levantamento feito pelo departamento de Research do BBVA Banco Francês. ?É importante notar que o nível de dívida atual é superior ao nível de dívida pré-crise", diz o levantamento.Segundo os dados da pesquisa, durante o ano passado, o governo colocou US$ 14,7 bilhões de nova dívida e há reconhecidos outros US$ 13,7 bilhões que ainda deverão ser emitidos, totalizando-se US$ 28,4 bilhões.

Agencia Estado,

08 de maio de 2003 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.