Dívida do governo cai para 42,6% do PIB, menor desde 1998

Queda no indicador reflete revisão do PIB feita pelo IBGE, segundo chefe do Depec do Banco Central

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

28 de dezembro de 2007 | 11h04

A dívida líquida do setor público consolidado fechou novembro em 42,6% do Produto Interno Bruto (PIB), o equivalente a R$ 1,127 trilhão, segundo informou nesta sexta-feira, 28, o departamento econômico do Banco Central. O resultado é o menor desde dezembro de 1998, quando o indicador ficou em 38,9%.   Veja também: Economia do governo para pagar juros supera meta para 2007   O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, explicou que a queda desse indicador na comparação com outubro reflete a revisão do cálculo do PIB feita após a divulgação dos dados do terceiro trimestre e já inclui a projeção de crescimento da economia de 5,2% para 2007, como anunciado na quinta-feira no Relatório Trimestral de Inflação do Banco Central.   Segundo o relatório divulgado pelo BC nesta sexta, "o efeito da desvalorização cambial sobre os ativos indexados ao dólar" também ajudou na redução da relação.   A nota observa ainda que a dívida caiu 2,1 pontos porcentuais no acumulado do ano. "Contribuíram favoravelmente para essa redução o superávit primário, com 4,3 pontos porcentuais do PIB, e o efeito do crescimento do PIB valorizado, com 4,4pp. Em sentido contrário, contribuíram a apropriação de juros nominais, com 5,6pp, e o ajuste decorrente da valorização cambial, de 16,6% acumulada no ano, com 1pp."

Tudo o que sabemos sobre:
Dívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.