finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dívida do governo da China pode ter dobrado em 2 anos

O modelo de crescimento econômico da China que inclui elevados empréstimos para sustentar o crescimento dos investimentos pode ter dobrado o montante da dívida do governo local em apenas dois anos, para aproximadamente 20 trilhões de yuans (US$ 3,3 trilhões), apontou um pesquisador do governo nesta terça-feira.

AE, Agencia Estado

17 de setembro de 2013 | 04h49

De acordo com Liu Yuhui, da Academia Chinesa de Ciências Sociais, a atual dependência de empréstimos pesados para conduzir o rápido crescimento econômico é insustentável.

"Houve um aumento notável no nível da dívida pública global ao longo dos últimos dois anos", sinalizou Liu, diretor de uma unidade de investigação financeira.

A última auditoria completa de empréstimos dos governos locais da China estima que a dívida do governo local era de 10,7 trilhões de yuans no final de 2010. De acordo com as estimativas de Liu , a dívida do governo local chegou a 20 trilhões de yuans a partir do final do ano passado. Para o pesquisador, o total de todas as dívidas do governo - incluindo a do governo central - provavelmente subiu cerca de 16% em 2012.

Em resposta à crise financeira de 2008, muitos governos locais realizaram grandes projetos de gastos para manter o crescimento econômico. Grande parte destes projetos foi financiada por empresas de investimento criadas para contornar a utilização de empréstimos de bancos diretamente.

Os líderes chineses têm dito que a dívida do governo local não está fora de controle. No geral, a dívida do governo local é administrável à medida que a nova dívida está crescendo a um ritmo mais lento, disse o ministro das Finanças chinês, Lou Jiwei. Já o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, disse em uma conferência econômica na semana passada que a dívida do governo local está dentro de "níveis seguros."

Porém, Liu, assim como outros economistas, está levantando dúvidas sobre essas avaliações otimistas. Segundo o pesquisador, um dos principais problemas é a suposição generalizada de que o governo central irá resgatar toda a administração local, que é incapaz de pagar seus fundos emprestados. "Os riscos potenciais poderiam se materializar no futuro ", alertou Liu. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
chinadívidagovernolocal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.