Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dívida do setor público em setembro é a menor da série histórica

Alta do dólar contribuiu com a redução da dívida do setor em R$ 80,9 bilhões

Adriana Fernandes e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

31 de outubro de 2011 | 12h12

A forte alta do dólar em setembro derrubou a dívida líquida do setor público para o menor patamar da série histórica do Banco Central (BC) para este indicador econômico. Dados do BC divulgados informam que a dívida líquida fechou setembro em 37,2% do Produto Interno Bruto (PIB), patamar dois pontos porcentuais menor que o observado em agosto, quando o indicador estava em 39,2%.

O menor patamar da dívida até então era o de novembro de 2008, quando estava em 37,8% do PIB.

De acordo com dados do Banco Central, a dívida líquida somou R$ 1,481 trilhão no mês passado. Segundo o BC, a maior contribuição para a queda do indicador foi a desvalorização cambial, de 16,8% no mês, que contribuiu com a redução da dívida em R$ 80,9 bilhões.

O BC também informou que a dívida bruta do setor o público terminou setembro correspondendo a 55,9% do PIB, patamar inferior aos 56,1% do PIB registrados em agosto. Em setembro, a dívida bruta brasileira somava R$ 2,226 trilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.