Dívida do setor público sobe para 38,2% do PIB

A dívida líquida do setor público teve uma alta de 1 ponto porcentual em outubro, encerrando o mês correspondendo a 38,2% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). Em setembro, a dívida líquida estava em 37,2% do PIB. Segundo o BC, a dívida líquida do setor público totalizou R$ 1,534 trilhão. A variação cambial de 8,9% no mês contribuiu para o aumento da dívida em outubro em relação a setembro.

RENATA VERÍSSIMO E FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

25 de novembro de 2011 | 10h51

A dívida bruta terminou outubro equivalente a 55,4% do PIB, abaixo do 55,9% do PIB em setembro. A dívida bruta brasileira somou, em outubro, R$ 2,226 trilhões.

Superávit

O setor público consolidado registrou em outubro um superávit primário (economia para o pagamento dos juros da dívida pública) de R$ 13,959 bilhões, segundo o Banco Central. Esse resultado teve uma contribuição do Governo Central (Tesouro, BC e Previdência) de R$ 11,404 bilhões, enquanto que os governos regionais (Estados e municípios) registraram superávit de R$ 2,229 bilhões e as empresas estatais registraram superávit de R$ 326 milhões.

No acumulado do ano, segundo dados do BC, o resultado primário do setor público consolidado é positivo em R$ 118,596 bilhões, o que representa 3,54% do PIB.

No acumulado de janeiro a outubro o superávit do governo central é de R$ 85,724 bilhões, o que representa 2,56% do PIB. Os governos regionais acumulam superávit de R$ 30,848 bilhões, 0,92% do PIB, enquanto que as empresas estatais acumulam um resultado positivo de R$ 2,024 bilhões, 0,06% do PIB. Segundo o BC, o superávit primário acumulado até outubro representa 93% da meta estipulada para o ano que é de R$ 127,9 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.